sábado, 27 de setembro de 2014

PAIXÕES E VERDADES



                                            



                                                     PAIXÕES E VERDADES


      _ A pulsação parou, doutor!
     _Tente massagem cardíaca, e depois, choque!
     _ Sinto muito doutor, mas acho que já é tarde!
     _ Tente! Tente!
     Enquanto na sala médica os médicos e enfermeiros tentavam dar vida novamente ao corpo inerte, Doutor Tomás via uma grande luz em sua frente, uma luz que cegava e que aos poucos ia diminuindo para se poder ver um túnel. Nitidamente era um túnel muito branco, com uma luz bem própria, jamais sentida por Doutor Tomás. Olhou para cima e não viu bocais de lâmpadas ou luminárias embutidas, mas a luz estava ali, clareando com uma luz que, ao invés de transmitir calor, dava uma paz suave e aconchegante.
   Doutor Tomás continuou andando até chegar numa porta. Na realidade era um portão com abertura para os dois lados. O lado direito da porta estava aberto e na entrada havia um senhor de poucos cabelos sentado numa mesinha com alguns papéis na mão. Apesar dos poucos cabelos e o tom grisalho, tinha um olhar jovial e transmitia um enorme carinho pelo recém chegado.
   _Onde estou? Eu morri?- perguntou Doutor Tomás, mais com medo do sim do que do não.
     _Ainda não, mas está quase no momento de você escolher o que realmente quer. Precisa responder o formulário e entrar na sala. Na sala você deve aguardar ser chamado. Por favor, me responda se seus dados estão corretos.
    _Seu nome é Tomás Silva Santos, nascido em 13 de novembro, Escorpião, idade 73 anos, casado e divorciado, quatro filhos, advogado. Certo?
    _Só gostaria de corrigir os filhos que são dois. E gostaria de saber o que tem a ver o signo. Eu não acredito neste negócio de signo.
   _Seu Tomás, aqui está escrito quatro filhos. Dois com a esposa. Um com sua empregada, que você demitiu depois que ela apareceu grávida e outro é de uma mulher que você passou uma noite de carnaval quando você tinha dezenove anos. Quanto aos signos, você pode não acreditar neles, mas eles acreditam em você.
    _Mas estes filhos não são meus. A empregada saia com mais homens. Não era só comigo. E este outro eu nem sabia que existia.
    _O senhor pode até não saber da existência de algumas pessoas, mas elas existem. Lembre-se do que está escrito na maioria das escrituras sagradas: “O que Deus uniu o homem não pode separar”. Seja casamento, filhos ou até um animalzinho que vive com você. Se estão vivendo em seu mundo é porque você tem responsabilidades sobre eles, e aqui, as responsabilidades são cobradas por que todas elas estão expostas para análise pelo poder da Justiça.
    _ Mas se eu estou divorciado da minha primeira mulher eu não tenho direito de procurar alguém com quem eu possa ser feliz?
    _ Sim pode, mas seus laços com a antiga não acabaram, você tem seus direitos e tem seus deveres. Com a antiga família é maior ainda o laço. A família é como um pacto entre pessoas afins para viverem em harmonia. Se você quebrou a harmonia por causa da sua luxúria, tem culpa e deve ser julgado por sua culpa.
    _ Qual foi minha luxúria? Buscar uma mulher, um novo amor para minha vida?
    _ Sua luxúria está em todos seus atos eróticos. Você não quis uma companheira de amor, mas teve várias companheiras de sexo. As festas regadas à bebida e drogas não ficam devendo nada para as festas de Baco e suas bacantes. Mas Baco era um deus e suas festas eram consideradas sagradas. Sexo por sexo, é só prazer. Isto, é luxúria.
    _ Mas afinal, é errado o sexo? Porque então Deus criou o sexo. Para pecarmos?
    _ Ora Tomás, tudo o que existe no Universo foi feito através do sexo. Positivo e negativo nas várias nuances, tais como o claro e o escuro, macho e fêmea, amor e ódio e inclusive, bem e mal. O bem e o mal são ações do sexo. Um não existe sem o outro. O pecado é a demasia, o desequilíbrio deste eixo fulguroso, onde o prazer encobre o desejo pelo equilíbrio entre duas forças antagônicas.
    _ Você quer que eu acredite que o bem e o mal têm ligação com o sexo?
    _ Se você der uma olhada na história de Adão e Eva verá ali escancarado para quem quiser ver. O bem e o mal lado a lado com o sexo.
    _ Então, de que vale a justiça que eu tanto estudei para ser um bom advogado?
    _ As leis humanas foram criadas para a humanidade. As leis divinas foram criadas para as criaturas divinas, independente de sua raça ou gênero. Homem, deus, diabo, gnomos, djins, Papas, Bispos, Budas, todos estão sob o mesmo jugo, sob o mesmo critério de julgamento.
    _ Em minha vida sempre acreditei que o mal é sempre mal e o bem sempre bom. Não é isto uma verdade? Existe o mal bom, um mal necessário? Ou um bem ruim?
    _ Os pontos de vista se entrelaçam e o que vemos são respostas humanas para questões divinas. Novamente te falo. É necessário o equilíbrio entre os opostos. A guerra é um mal necessário. Talvez na ideia humana não seja, mas na ideia divina têm sua razão de existir. Assim com as catástrofes naturais, mal gerado pela natureza que devasta milhares de pessoas, dando em compensação, a chance para várias empresas de reconstrução, como uma das que você advogava a favor, se enriquecem as custas das desgraças alheias, ou talvez, alguns médicos que se aproveitam da doença dos outros para ganhar dinheiro com infindáveis tratamentos sem cura, onde os efeitos colaterais são piores que a própria doença. Não é também um bem revestindo o mal?
    _ Mas o mal não é fruto do ódio?
    _ E o amor não é o inverso do ódio? Amor e sexo não trabalham em conjunto? O desequilíbrio de um gera o outro, e, o que era amor torna-se ódio. Assim, amor à pátria gera a guerra, amor por uma religião gera a perseguição das outras, amor por coisas bonitas gera o roubo, e assim vai. E a história de Abel e Caim retrata também o que está sendo dito aqui.
    _ Caim não matou Abel por inveja?
    _ Caim matou Abel por inveja, cobiça e ódio. Todos estão ligados ao sexo, ao prazer e ao desejo.
    _ Não vejo onde o sexo entra?
    _ Prazer e desejo são atributos do sexo. É atração e cobiça. Tal é o mandamento: “Não cobiçais a mulher do próximo”. Ou seja, desejo e cobiça ligados ao sexo. Se você sente desejo ou cobiça algo de outra pessoa, criou a inveja dentro do seu coração.
    _ Se for pensar desta maneira, então eu estou condenado à danação no inferno. Tudo está ligado. Só vou me livrar pela gula e pela preguiça. Já que não sou de comer muito e também adoro trabalhar. Orgulho, eu sei que não dá para disfarçar.
    _ Porém Tomás, o que você acha não interessa aqui. O que interessa é o que realmente você é. A gula não se aplica apenas ao alimento físico, que você digere no seu cotidiano. Alimentar a alma também entra em jogo. Você alimentou a alma com a avidez de riquezas, devorando com sua gula a ecologia. Ajudou madeireiras destruírem grandes florestas, auxiliou empresas destruírem rios e mares, e, desperdiçou. Desperdiçou muito do que lhe foi dado. A gula por coisas novas fez você jogar coisas em bom estado para dar lugar a coisas da moda. O seu carro novo, seu celular que tira fotografia, seu micro mais rápido, sua televisão de plasma.
    _ Minha nossa! Não sabia que as palavras se encaixam em coisas de duplo sentido?
    _ Isto não é duplo sentido. O homem cria suas cascas e torce os sentidos, muda o que é real e cria uma verdade artificial e depois, acredita que sua verdade artificial é mais verdade que a verdadeira verdade. Gula é gula, é ganância, é volúpia. Preguiça não é apenas com o trabalho, onde se deveria buscar um modo de sobrevivência e não um modo de enriquecer e gastar tanto com supérfluos e coisas descartáveis. A maior preguiça é achar que é religioso porque acredita em alguma religião, por que vai numa igreja ou templo. Mas sai dali do mesmo jeito que entrou. Por dentro é a mesma pessoa mesquinha e cheia dos ditos pecados que sua própria igreja lhe impõe. Então vai confessar com o padre, que pode ter até mais pecados, e está livre e absolvido. Vai num culto onde o senhor Jesus te liberta do demônio, mas vira a costa para sua igreja e o seu velho amigo está ali do seu lado, te auxiliando fazer as mesmas coisas. Reza, faz preces, medita, compra amuletos, cruzes, velas, sacrifica animais inocentes. Tudo para alcançar Deus. Mas ele está tão perto, mostrando o caminho aberto para aquele que quer ver. E enquanto você sai pelas ruas e pelos mais longínquos lugares, Deus te espera confortavelmente dentro da sua casa. Somos todos iguais perante as leis, só o que devemos fazer é enxergar a luz no fim do túnel. Você enxergou Tomás, é a hora de você mudar sua vida. Eu sempre falo para quem chega até aqui. Vai, volta e não peques mais!
    _ Tente mais uma vez!- falava o médico apressado.
    _ Voltou doutor! O coração voltou! De volta à vida doutor Tomás!
    _ Doutor Tomás, pode me ouvir?-falou o médico.
    _ Sim, posso te ouvir, mas não gostaria.
    _ Deve estar delirando doutor-falou o enfermeiro.
    _ Não, estou ouvindo perfeitamente. Eu vi o túnel que todos falam. Não me lembro direito do que vi, mas me lembro de um anjo. Agora sei que andava errado com minha vida.
    _ Eu não falei doutor, está delirando como todos os outros. Sempre a mesma história do túnel.
    _ Deixem-no descansar. Daqui a pouco ele não se lembrará de mais nada-falou o médico.    
    “É o que vocês pensam”. Pensou o senhor de cabelos brancos.
    “Atenção! Mais um chegando pelo túnel!” - falou uma voz pelo alto falante da sala.


Elder Prior