A PRISÃO DE HERAKLEÓPOLIS

A PRISÃO DE HERAKLEÓPOLIS


Estava eu agora, dentro da prisão, procurando uma voz a qual não enxergava seu dono. Seria o anjo da entrada? Ou seria outro alguém querendo me mostrar algo? Assustado, perguntei ao nada:

_Onde está você que me fala? Acaso é um demônio?
_Não me enxergas porque em sua vida, jamais fiz parte. Não enxergas e não ouves a não ser a si mesmo. O dia que tu abrires teus olhos e ouvidos para a verdade, então me verá e reconhecerá quem sou - falou a voz.
_Se fores do bem, porque te escondes? Mostre-me tua face!
_Oh! Queres um sinal? Incrédulo! Não vês o poder divino todos os dias? Não sente em si mesmo este poder?
_O que tem isso com você? Porque te escondes?
_Não me escondo, incrédulo! Estou aqui onde pode me ver a hora que tirar o que te cega da frente de sua turva visão.
_Então és um demônio! Um anjo jamais estaria num lugar como este.
_O anjo está onde é necessário. Age bem onde é necessário o bem. Age mal onde é necessário o mal.
_Não entendi!- falei, sentando numa grande pedra que havia no caminho.
_Para muitos, uma pedra pode estar dentro do sapato, causando dor. Para outros uma pedra pode edificar uma igreja ou um templo, ou, até presídios -falou a voz, que se tornava mais mansa.
Pela primeira vez, naquele lugar, pensei no Mestre que me havia tirado do palácio. Onde estaria? Não seria ele quem estava falando comigo?
_Te enganas, incrédulo, já não tens ninguém ao seu lado. Mestres são para um auxílio. São muletas. Ande com seus próprios pés.
_Mas eu não sei como agir, nem pra onde ir!
_Sabe sim. No fundo do seu coração você sabe. Deixe que suas emoções falem por você e então removerás montanhas. Tente ser o que desejas ser, sem intromissão de orientações externas. LIBERTE-SE DA PRISÃO!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário